Arquivo da categoria ‘Por eles…’

Você e o lápis

Publicado: 30 , novembro , 2011 , quarta-feira em Por eles...

O menino olhava a avó escrevendo uma carta. A certa altura perguntou: “A senhora está escrevendo uma história que aconteceu conosco? E, por acaso, é uma história sobre mim?”

A avó parou a carta, sorriu e comentou com o neto: “Estou escrevendo sobre você, é verdade. Entretanto, mais importante do que as palavras, é o lápis que estou usando. Gostaria que você fosse como ele quando crescesse.”

O menino olhou para o lápis, intrigado, e não viu nada de especial: “Mas ele é igual a todos os lápis que vi em minha vida”, retrucou.

“Tudo depende do modo como você olha as coisas. Há cinco qualidades nele que, se você conseguir mantê-las, será sempre uma pessoa que fará a diferença”, respondeu a senhora. E enumerou:

Primeira Qualidade: Você pode fazer grandes coisas, mas não deve esquecer nunca que existe uma mão que guia seus passos. Esta mão é a de Deus. E Ele deve sempre conduzi-lo em direção à Sua vontade.
Segunda Qualidade: De vez enquando, eu preciso parar o que estou escrevendo e usar o apontador. Isso faz com que o lápis sofra um pouco, mas, no final, ele está mais afiado. Portanto, saiba suportar as dores, por que elas o farão ser uma pessoa melhor.
Terceira Qualidade: O lápis sempre permite que usemos uma borracha para apagar aquilo que estava errado. Entenda que corrigir uma coisa que fizemos não é necessariamente algo mau, mas algo importante para nos manter no caminho da justiça.
Quarta Qualidade: O que realmente importa no lápis não é a madeira ou a forma exterior, mas o grafite que está dentro. Portanto, sempre cuide daquilo que acontece dentro de você.
Quinta Qualidade: Ele sempre deixa uma marca. Da mesma maneira, saiba que tudo que você fizer na vida irá deixar traços. Procure ser consciente de cada ação.

Autoria Desconhecida

Anúncios

Você chama isso de relacionamento?

Publicado: 16 , novembro , 2011 , quarta-feira em Por eles...

Acabei de dar uma espiada na minha caixa postal de emails. Concentrei a atenção nos emails recebidos. A lista é imensa, classificadas em categorias do tipo:

. não lidos

. lidos e esquecidos

. lidos e com resposta pendente

. não sei porque ainda estão aqui

. não faço ideia do que se trata

. não sei quem é essa pessoa

. o que é que eu tenho a ver com isso

. meu Deus do céu, como deixei passar isso

dentre outras.

A maioria classificada na categoria:

. baixou, não posso ler ou responder agora, faço isso depois, esqueci porque baixaram mais, e agora não sei o que fazer com isso

Evidentemente me senti péssimo por deixar algumas pessoas sem resposta. Lamentei profundamente esse vácuo dos relacionamentos e comecei a pensar coisas do tipo:

. acho que isso já foi resolvido sem a minha ajuda

. cansou de esperar a minha resposta

. como será que as coisas se resolveram, se é que se resolveram

. será que ainda posso fazer alguma coisa

. o que é que as pessoas pensam de mim

. nossa, deve estar pensando que eu sou inacessível

O sentimento que me invadiu foi um misto de vergonha, culpa, e indignação. Na verdade um mistura de sentimentos que somados dá qualquer coisa muito ruím. Mas não me dei por vencido e me dediquei a fazer o que geralmente faço quando estou em apuros: pensar. Aprendi com Jesus: o antídoto contra a ansiedade é a reflexão – pare e pense, veja se o que você está sentindo é racional e justificável. Foi essa a recomendação que ele fez aos ansiosos: preste atenção nos passarinhos e nas flores, e veja se a sua ansiedade tem algum fundamento razoável, isto é, veja se faz sentido você se sentir desse jeito.

Foi então que me surgiram alguns insights, suficientes para que eu consiga ir para a cama um pouco mais leve, já que já passa das dez da noite e acabaram de chegar mais dezessete emails em minha caixa postal.

Considere comigo. Há apenas alguns anos, caso uma pessoa desconhecida ou de relacionamento distante desejasse falar com você, tal pessoa deveria (1) esperar até conhecer você pessoalmente e receber de você seu telefone de contato, momento quando você escolheria se iria informar o telefone particular ou de trabalho, ou (2) acessar você através de uma pessoa conhecida, um amigo comum por exemplo, ou então (3) fazer contato ligando no seu local de trabalho para encaminhar assuntos profissionais. Mas as redes sociais abriram um acesso de relações jamais imaginado e impossível de ser controlado.

O celular deixa você à distância de alguns toques no teclado e você recebe torpedos desnecessários com comentários bobos de gente que se julga íntima. O twitter (quem mandou ter twitter?) faz surgir em suas mentions comentários do tipo “chupa @edrenekivitz” logo em seguida ao primeiro gol do Corinthians num jogo em que os gambás tomaram de 3. Desconhecido o remetente, não respondi, até porque não gosto de bater em bêbado.

Mas o sério mesmo é o email. Os maiores culpados são os caras que desconhecem o significado daquele CCo na terceira linha do cabeçalho do email a ser enviado. Recebo um sem número de emails circulares com cópias abertas, e fico sabendo do email de um montão de gente com quem não tenho qualquer contato pessoal. Caso os emails coletivos fossem enviados com Cco, isto é, cópia oculta, minha privacidade e a dos meus pares seria protegida. Mas em tempos de www. privacidade é algo ultrapassado.

Outro dia mesmo eu estava almoçando na residência de uma família amiga e alguém me fotografou à mesa para postar no seu facebook ou twitter, sem a menor preocupação em saber se eu queria que minha vida privada fosse compartilhada com seus quatrocentos e vinte e sete “amigos”.

O email e o twitter substituiram o contato pessoal. Isso signfica que antigamente o número de pessoas com quem teríamos algum contato que demandaria resposta cabia na agenda diária. Algo semelhante ao que acontece com os médicos. Você deseja uma consulta com o Dr. Fulano De Tal? Marque uma consulta. Caso ele não possa atender você nessa semana, aguarde o próximo horário disponível, pois o Dr. Fulano De Tal só consegue atender oito pessoas por dia. Mas imagine que o e-mail do Dr. Fulano De Tal fosse público e que em média ele recebesse 40 mensagens de possíveis pacientes contendo relatos de situações pessoais com descrições de sintomas e histórico de exames e tratamentos aos quias já se submeteram. Imagine também que alguns desses constassem URGENTE no campo Assunto do cabeçalho do email. Certamente chegaria o dia quando o Dr. Fulano De Tal olharia sua caixa postal e se daria conta de centenas de mensagens pendentes não respondidas e algumas inclusive sequer lidas. E provavelmente seria invadido por um peso imenso, pensando no destino de cada um dos pacientes que fizeram contato virtual.

Foi o que aconteceu comigo hoje.

Ed. René Kivitz

Excesso de qualquer coisa

Publicado: 26 , outubro , 2011 , quarta-feira em Por eles...

“Se você encontrar mel, coma apenas o suficiente para que não fique enjoado e vomite… Comer mel demais não é bom, assim como não é bom buscar a própria honra… Quem está satisfeito, despreza o mel, mas para quem tem fome, até o amargo é doce.” Provérbios 26.16,27 e 27.7 – 13/04/08

É, já deu pra perceber que Salomão gostava de mel. Preferências gastronômicas à parte, as lições que tais metáforas ensinam são importantes.

Somos seres feitos para o que é bom, saudável, belo, funcional, saboroso. Infelizmente a existência humana é marcada pela desorganização que gera confusão em nossos sentidos, ou seja, não reconhecemos as realidades como elas são. Além de não sabermos reconhecer limites de experimentação das realidades, pois ora estamos além, ora estamos aquém e discernir a medida certa é uma arte.

Nem o excesso nem qualquer coisa, pois corremos o risco de enjoarmos do que é bom ou de consumirmos o que  não presta como se fosse “manjar dos deuses”.

A grande questão é que Deus, longe de ser estraga-prazeres, sabe o que realmente precisamos como alimento existencial e está nos oferecendo através da fé e da valorização das suas pequenas bondades. Ele sabe o mel que precisamos para dar sabor à vida.

® 2008 Alexandre Robles

Convite à loucura

Publicado: 19 , outubro , 2011 , quarta-feira em Por eles...

No início da história cristã, Agostinho acusou: ‘Muitos que chegam perto do caminho da fé afastam-se amedrontados pela vida perversa dos maus e falsos cristãos. Quantos, meus irmãos, vocês acham que são os que querem ser tornar cristãos, mas são repelidos pelos maus modos dos cristãos?’.

Se aquele que está atrás da verdade descobre que os cristãos estão do mesmo modo ensimesmados, repletos de culpa, desesperados, inseguros de seus fundamentos e assombrados pelos mesmos medos – semelhantes a muitos que, no mar, se sentem num ambiente hostil e, assim, vêem-se desorientados -, não é de admirar que tal indivíduo não sinta atração pela igreja. Uma mulher de 23 anos, fazendo um trabalho acadêmico na Universidade de Paris, escreveu o seguinte:

Para mim, um cristão é ou um homem que vive em Cristo ou um impostor. Vocês, cristãos, não percebem que é com relação a isto – ao testemunho quase superficial que vocês dão de Deus – que nós os julgamos. Vocês deveriam irradiar Cristo. Sua fé deveria fluir pra nós como um rio de vida. Deveriam nos contaminar com seu amor por Ele. É assim, então, que Deus, que era impossível, se tornaria possível para o ateu e para aqueles de nós cuja fé oscila. Não podemos evitar o choque, o transtorno e a confusão que sentimos ao ver um cristão que seja, de fato, como Cristo. E não perdoamos quando ele não o é.

Brennan Manning – Convite à loucura

Texto extraído de: http://solomon1.com/convite-a-loucura/

Aliviando A Bagagem

Publicado: 12 , outubro , 2011 , quarta-feira em Por eles...
Todos nós levamos conosco uma série de cargas pesadas que nos fazem caminhar com mais dificuldade do que normalmente temos potencial. Essas cargas nos impedem de termos uma vida sadia e satisfatória, e nos projeta sempre para a cada passo que dermos em nossa caminhada ficarmos mais cansados e fadigados, dessa forma perdemos em muitos aspectos o que nós poderíamos fazer se não carregássemos tais cargas.
Quando estamos esperando um avião no saguão de um aeroporto, e pretendemos nos dirigir ao nosso portão de embarque, e nos vemos com três malas grandes e pesadas, sabem que iremos chegar até lá com muita dificuldade, pois não há ninguém que possa nos ajudar a levar as bagagens, então você se depara em uma situação que possui duas saídas.
A primeira é você segurar bem firme as suas malas e se arrastar até o portão, lutar muito, e enfim quem sabe conseguir chegar ao seu destino.
A segunda é você abrir mão de suas malas, deixá-las para trás, e caminhar sem qualquer dificuldade para o seu avião.
O autor, utilizando a referida analogia procura levar o leitor a perceber que nossa vida é um tanto parecido com esta ilustração. Muitas vezes em nossa existência nos sentimos muito cansados por carregar pesos que nos impedem de chegar em nosso destino, a depressão, ansiedade, ira, rejeição, inveja, timidez, são exemplos de cargas que são tão pesadas que as vezes não conseguimos nem sair de nosso lugar. O que o autor propõe então é que com a ajuda de Deus Pai, amoroso, deixemos nossas bagagens para trás, e tomemos a decisão de abandoná-las no meio de nosso caminho, para que dessa forma tenhamos a condição de caminharmos apenas carregando o peso de nosso corpo, sem mais dificuldades, para enfim chegarmos aos mais altos lugares que Deus tem a nos oferecer.
Resumo do livro (Max Lucado)

Próximo

Publicado: 28 , setembro , 2011 , quarta-feira em Por eles...

A conquista não acabou!

Publicado: 21 , setembro , 2011 , quarta-feira em Por eles...

Quando Josué já estava bem velho, o SENHOR disse: – Você já está muito velho, e ainda há muita terra para ser conquistada.” Josué 13:1

Neste momento, Josué já estava começando a se conformar, pois já havia tido inúmeras conquistas e vitórias, havia levado libertação ao povo e muito tempo já havia passado – mas Deus foi claro com ele. Seus planos eram infinitamente maiores que os de Josué, havia ainda muita coisa por fazer, muitas conquistas, e o melhor, o cumprimento de Sua promessa.

Em sua vida não é diferente, talvez já tenha sim alcançado grandes conquistas pelo tempo que se passou, ou mesmo “aparentemente” nada tenha acontecido, talvez esteja começando a desistir de seus sonhos, planos, metas e objetivos para este ano, achando que não dá mais tempo para nada. Mas eu venho dizer algo muito importante, ESTE ANO AINDA NÃO CHEGOU AO FIM, AINDA TEM MUITA COISA PARA ACONTECER!

Assim terminou a criação do céu, e da terra, e de tudo o que há neles.
No sétimo dia Deus acabou de fazer todas as coisas e descansou de todo o trabalho que havia feito
”. Gênesis 2:1-2

Deus criou o mundo todo em apenas seis dias, lembre-se disso. O que Deus te prometeu, Ele vai cumprir sim, custe o que custar! Não fique de braços cruzados, mas avance para suas conquistas.

Assim o SENHOR Deus deu aos israelitas toda a terra que havia prometido aos seus antepassados. E, quando tomaram posse da terra, eles passaram a morar nela”. Josué 21:43

Foi isso que aconteceu quando Josué se posicionou e voltou a lutar. Comece agora mesmo a se posicionar, levante sua cabeça e, avance, pois ainda há muitas coisas para você conquistar neste ano.

Você é o melhor de Deus, jamais se esqueça disso!

Texto extaído de: http://www.vidanapalavra.com