Alcançando os ribeirinhos do Pará

Publicado: 11 , dezembro , 2011 , domingo em Minha história

Intérprete, tradutora, profissional da saúde, missionária em todo o tempo. Essa é a descrição da entrevistada desta semana, a paraense Edilma Novelo, que trabalha junto com o marido Joseph Novelo, o Joe, no Ministério Amazon Reach (Alcance Amazônico, no Brasil), da organização Jovens Com Uma Missão (Jocum), no Pará. Formada pela Universidade das Nações, na Guatemala, Edilma conta que algumas experiências com Cristo em sua adolescência foram determinantes para essa vida que une o internacional ao regional.

Você é cristã desde criança?

Cresci em uma família cristã, mas aos 11 anos de idade, meus pais se separaram e meu mundo caiu, pois tudo que sabia estava na igreja. Passei a não acreditar em crentes, mas continuava a acreditar em Deus, orava pedia perdão pelos meus pecados,andei por muitos caminhos tortos, com amigos bem mais velhos do que eu. Meu alvo era punir meus pais pelo que havia feito a mim.

O que você fez nessa época?

Bebi, fumei mas sempre a Palavra vinha a meus pensamentos. Nunca usei droga. Era mais uma vida sem controle, sem ninguém pra me dizer o que eu podia e não podia fazer. Influenciei muitas meninas para a rebeldia.

Quando essa realidade mudou?

Aos 15 anos, visitei uma igreja perto da minha casa, Presbiteriana do pastor Jerônimo. Lutei muito pra não fazer uma decisão naquela noite, mas ao sair da igreja, um rapaz que tinha sido amigo de escola me viu na frente da igreja e veio conversar comigo. Ele perguntou se eu tinha me convertido, pois ele já havia feito a decisão dele. Eu disse que não, mas lembrei da noite anterior, em que eu tinha ido pra um clube e tentei beber, mas não conseguia engolir. Só consegui engolir água ou refrigerante. Deus já estava fazendo o milagre. As coisas tinham que ser rápidas comigo.

Então, quando ele me fez a pergunta e disse que Deus estava me dando mais uma chance, e que essa podia ser a última, pensei na minha vida dos últimos 3 anos e as coisas loucas que havia feito e como Deus havia me protegido, eu falei para o pastor Jerônimo: eu quero Jesus na minha vida, eu quero ter um relacionamento com Ele. Foi 23 de outubro. Não vou dizer o ano pra você não saber minha idade rsrs. No outro dia, minha vida era outra. Não consegui nem sentir o cheiro de cigarro.

Quais foram seus passos seguintes?

Por um ano, meu alvo era conhecer a Deus, profundamente como o apóstolo Paulo, então, pedi pra uma irmã da igreja me discipular. Mudei minha maneira de vestir por um ano, pois eu tinha que mudar radicalmente, pois eu fazia dança para ser modelo. Tudo para o exterior.

Você abandonou a futura profissão de modelo?

Duas semanas depois que me converti, recebi um contrato pra desfilar pra uma marca de Belém, mas sabia que Deus tinha algo maior pra mim, então recusei. Participei de todas as reuniões da minha igreja e de outras igrejas. Toda noite tinha uma reunião de oração, estudo bíblico, etc. Comecei a evangelizar nas praças, voltei com meus amigos e preguei pra todos eles. No ano seguinte, aos 16, um grupo da Jocum visitou minha igreja e aí, eu sabia o que tinha que fazer. Participei da escola de adolescentes em julho e recebi meu chamado através de um sonho. Minha mãe não permitiu minha ida, pois tinha que estudar. Voltei pra casa e fiquei orando.

Como foi o sonho?

Eu estava só em uma ilha e ao redor um rio de corrente muito forte passava e as pessoas estavam se afogando. Eu dava minha mão para elas e as salvava. Conversei com o pastor sobre o sonho e ele me disse que achava que Deus estava me chamando pro Ministério, mas eu era muito nova.

 

O que houve depois?

Fiquei orando e evangelizando meus amigos da escola. A Eted (Escola de Treinamento e Discipulado, da Jocum) iria começar em janeiro, e isso era setembro. Orei para que se Deus quisesse, minha mãe teria que assinar minha autorização pra fazer Eted, porque eu era menor de idade e não tinha dinheiro. Estava me preparando pra fazer vestibular de psicologia, mas continuei orando. Minha mãe falou que eu nunca iria, mas um dia, a irmã que me discipulou me disse que teve um sonho e que Deus falou pra ela pagar minha Eted. Agora só faltava minha mãe.

Em dezembro, durante um jejum, pedi pra Deus me mostrar o momento certo pra perguntar à minha mãe. Eu estava descendo a escada e minha mãe vinha subindo. Deus falou pra eu falar pra ela naquele momento, então, eu pedi pra ela assinar os papéis e ela disse que sim. Eu não podia me conter, nem acreditava: ela assinou. Liguei pra Jocum e confirmei que estaria lá em Janeiro. 15 minutos depois, minha mãe começou a chorar e dizer que não sabia porque ela tinha assinado, mas que havia sido um milagre.

Onde foi a Eted?

Nunca fiz vestibular no Brasil, mais fui pra Guatemala (país da América Central). Estudei lá e nos Estados Unidos. Deus sempre foi fiel em tudo, nos meus estudos, pois era muito importante pra minha mãe o diploma. Então, Deus a honrou com os meus diplomas: Saúde Pública, que funciona como paramédico, na Escola das Nações, Guatemala. Nutrição e Oftalmologia nos Estados Unidos.

Depois que voltei para o Brasil, depois do curso na Guatemala, fui com o navio da Jocum, o Bom Samaritano, para a África. Depois fui para os Estados Unidos, e ai fiz a faculdade de Nutrição, e o curso de auxiliar de oftalmologia.

E agora, tudo o que você aprendeu está sendo muito bem utilizado nas missões, junto com seu marido Joe, nos rios da Amazônia. Como tem sido essa vida?

Joe era pastor na Flórida. Estamos casados há 18 anos. Nos conhecemos no navio da Jocum, o Bom Samaritano. Trabalhamos juntos em evangelismo. Eu era tradutora médica, mas quando precisavam em outras áreas, eu ajudava. Então, eu  sempre traduzia pra ele. Trabalhamos na Flórida, como pastor de missões e pastor auxiliar por 15 anos. Depois de uma conferência que o Joe participou como um dos preletores, Deus confirmou pra nós irmos para o Pará trabalhar com os ribeirinhos e em treinamento, viemos pra cá em 2008 e desde então, estamos trabalhando com assistência médica e dentária, usando para o evangelismo dos ribeirinhos. Ter a formação em Saúde Pública (Desenvolvimento Comunitário) ajuda muito na preparação dos projetos e a como entrar nas comunidades, respeitando sua própria cultura e sem a pretensão de que sabemos tudo e eles nada.

Obrigada!!

Mais informações sobre o Amazon Reach em www.amazonreach.com

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s