Ele combateu o bom combate

Publicado: 2 , agosto , 2011 , terça-feira em Matérias

Quando se perde uma pessoa querida, há muito choro, muita tristeza, muitas lembranças, muitas saudades. Porém, na vida do cristão, a morte não é sinônimo do fim, mas um passo para a volta pra  casa: o céu. A Bíblia diz que o nosso lar é o céu, onde, ao contrário do que acontece na Terra, não haverá choro, tristeza, saudades, e ao que tudo indica, haverá apenas lembranças do que é bom, do que faz sorrir.

O apóstolo Paulo diz no livro de Filipenses, capítulo 1, versículo 21 que, “… o viver é Cristo e o morrer é lucro”, quando se tem a vida eterna.  Isso ele disse porque para muitas pessoas, viver essa vida quer dizer viver perigosamente, “curtir tudo o que tem direito” e coisas do tipo, mas quando se conhece a Cristo verdadeiramente, o sentido da vida muda, as pessoas passam a enxergar o mundo de forma diferente e a viver uma vida com propósito. A morte passa a ser lucro, porque existe tantas coisas ruins nesse mundo, que dá vontade de ir para casa, o céu, o lugar em que estaremos perto daqueles que nos amam e nos farão felizes. Os filhos estarão lado a lado com Deus.

Recentemente, a Igreja Batista Sião, em Belém, perdeu seu fundador –presidente, o pastor Gidalfo Figueira, aos bem vividos 85 anos. Perder na esfera terrena um homem que serviu a vida inteira ao Reino de Deus é motivo de tristeza, por um lado, mas de alegria, por outro, porque está nos braços do Criador. Para a filha dele, Eleusa Sales, lembrar do pai, é reconhecê-lo como exemplo em todos os sentidos.  “Paizinho, homem que foi exemplo para todos. Servo, Marido, pai, avô, bisavô e amigo exemplar. Amamos para sempre, até quando na glória nos encontrarmos”.

Concorda com Eleusa, a neta do pastor, Beatriz Noronha, que também cita as qualidades do avô. “Foi um grande exemplo de fé e de amor para com a igreja. De certo que ele está muito feliz na glória nesse momento, muito melhor que nós aqui na terra. Vai deixar saudades. Vovô, amamos você!”, diz Beatriz.

Para outra neta, Priscila Campos, o consolo da família está em saber que irão encontrá-lo na glória. “O nosso consolo é que está na glória com o Pai. O Senhor nos deu, o Senhor tirou, bendito seja para sempre o Nome do Senhor”, diz Priscila.

Exemplo de amor e receptividade, Pastor Gidalfo, dentre outras coisas,  deixa a lembrança de gentileza, conforme relata o jovem Roberto Negrão, que há seis anos é membro da IBS. “Quando chegamos na Sião em novembro de 2005 eu notei que tinha um senhor na porta cumprimentando a todos que chegavam. Me apeguei ao jeito gentil e receptivo. Sempre que possivel eu conversava com ele. Dele, vinham sábias e mansas palavras. Eu gostaria de mais uma vez poder apertar a mão dele, mas Deus teve planos maiores. Algum dia o cumprimentarei novamente, na glória”, afirma esperançoso.

Outro jovem que também se apega às lembranças do amado pastor é o estudante Marcos Picanço, que ainda quando adolescente, teve o privilégio de ser acompanhado diretamente pelo pastor-presidente. “Um dia, eu tive o privilegio de conhecer, um homem integro, fiel a DEUS, sábio com suas palavras. Um dia, pude ouvir palavras edificantes. Eu tive o privilégio de sentar pra ouvir as histórias da sua vida. Ainda tive o privilegio de levar puxão de orelha (literalmente) desse homem. Não tenho mais palavras pra descrever os momentos que tive de felicidade, aprendendo, louvando, glorificando ao Senhor junto dele. Só tenho que dar glória a Deus por ter me dado a chance de conhecer essa benção e com ele aprender muito”, descreve Marcos.

Sem dúvida, o pastor Gidalfo, que em 1979 fundou a IBS, deixou não só somente uma igreja bem estruturada e firmada na Rocha, mas um legado de fé, de amor, de princípios. Ele foi exemplo de cristão que não mostrava cansaço, indisposição, mas força, coragem, fé e verdade. Ele fez como o apóstolo Paulo: combateu o bom combate. “Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé. Desde agora, a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, justo juiz, me dará naquele dia; e não somente a mim, mas também a todos os que amarem a sua vinda.” 2 TM 4:7-8

Editado por Luciana Almeida


Anúncios
comentários
  1. Gaby disse:

    Esse foi com certeza um grande homem de Deus, sentiremos saudades, mas também sabemos que um dia nós vamos nos reencontrar. Até breve querido Pastor!

  2. Elizângela Borges disse:

    Que lindo saber que um dia estaremos com o Senhor e pessoas que amamos que se foram antes! Fico imaginando como deve ser a partida de uma pessoa salva em Cristo Jesus no momento de sua morte… isso me emociona!

  3. Danielle Brito disse:

    Q lindo esse artigo sobre nosso amado Pastor Gidalfo, tive o privilégio de aceitar Jesus na Sião e ser discipulada por ele, de 1997 até meados de 2005 qdo parti p missão d tempo integral. Hj trabalho e moro em Roraima e não pude dizer um até logo p ele de perto. Mas tenho o consolo d q vou encontrá-lo em nossa morada eterna! Obrigada Pr. Gidalfo pelas ofertas, carinho, respeito, orações e discipulado!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s