Leonam Brelaz

Publicado: 8 , maio , 2011 , domingo em Seja bem-vindo!

Aos 22 anos e acadêmico de Engenharia Civil, Leo Brelaz é convertido há 5 anos e desde então, procura uma vida de constante comunhão com Deus, renunciando a si próprio para ter mais de Deus em sua vida.

Como era sua vida antes?

Eu nasci em lar cristão. Minha mãe é evangélica e meu pai é católico, e desde criança, minha mãe levava a mim e minha irmã para igreja, mas para mim era tudo muito automático. Eu ia só domingo pela manhã, às vezes à noite, mas sem muito compromisso. Meu desejo era viver aquilo que meus amigos viviam. Sempre estudei em colégio evangélico, mas nem todos os alunos eram evangélicos e pela própria adolescência, a preocupação era mais com garotas, popularidade e coisas desse tipo. Eu sempre fui um garoto muito tímido, muito na minha. Hoje, sou meio palhaço, mas antes era tímido demais. Não conseguia nem olhar nos olhos de uma garota. Por isso, eu acabava extravasando nas amizades masculinas e me projetava nos relacionamentos com as meninas. Mesmo sabendo da Verdade, eu tinha vontade de experimentar esse lado popular, mundano. Deus tentava falar comigo, mas eu nunca ouvia, não dava a devida atenção. Durante esse período de adolescência, eu fui para alguns acampamentos do Instituto “Palavra da Vida” e Deus falava ao meu coração, mas eu não levava a sério, eu ia mais pelos meus amigos, pra curtir.

Até que uma vez…

Até que uma vez, num domingo de noite na Igreja Batista Sião, teve um culto especial e a igreja estava muito lotada. Eu não gostava muito quando a igreja ficava lotada porque todo mundo ficava apertado, e aquilo me desagradava, e eu fui pra frente da igreja, pro estacionamento. Quando cheguei na frente, tinha três pessoas que eu não conhecia: o Nilsinho, o Fábio e o Diego que estavam conversando sobre futebol. E eu fiquei um pouco afastado escutando aquela conversa e acho que Deus tocou no coração deles porque eles vieram falar comigo, perguntaram meu nome e se eu ia pro acampamento da Sião que ia ter. Eu disse que não, que não conhecia ninguém e eles começaram a insistir para que eu fosse, porque era uma ótima oportunidade de eu conhecer a galera e ia ter várias atividades legais lá. Eu me empolguei, porque eu nunca tinha tido amigos na Sião antes deles e acabei aceitando ir. No acampamento, eu sempre ficava na roda deles e fui começando a conhecer as pessoas devagar. Ao mesmo tempo, as mensagens do pastor Jonatas começaram a ser bem tocantes em mim. Deus começou a falar ao meu coração e eu sabia que já estava na hora, que eu estava com a vida totalmente estragada, mas eu ainda queria experimentar o mundo que me ofereciam. Só que à medida que eu ia entrando nesse mundo, eu ia vendo que não tinha nada a ver, que era só ilusão, que na hora era bacana, mas depois que acabava eu ficava deprimido.

Como Jesus entrou na sua vida de verdade?

Nesse acampamento que eu fui, passaram o filme “Deixados para Trás”, sobre arrebatamento, e isso me impressionou muito, eu tinha muito medo de ficar, tinha medo da Grande Tribulação. E eu sabia que eu estava com uma vida em pecado, porque eu sabia da Verdade, mas não a praticava. Então, durante uma das últimas pregações desse acampamento eu já estava bem quebrantado, chorando muito, e o pastor Jonatas fez o apelo para quem queria aceitar Jesus e eu sabia que eu tinha que aceitar lá na frente. Eu já tinha aceitado no meu coração, mas eu tinha que ir lá pra frente, e nessa hora, eu levantei a mão chorando, fui lá na frente, o pastor me abraçou e me disse que eu tinha recebido uma família e nessa hora todos os jovens foram lá pra frente comigo e me abraçaram e eu chorei muito. Eles fizeram uma roda gigante me abraçando e eu fiquei muito emocionado. A partir daí, comecei a buscar intimidade com Deus e desde então, comecei a andar no caminho do Senhor.

Alguma coisa mudou drasticamente na tua vida? Percebeste alguma mudança?

Sim. Eu comecei a mudar algumas atitudes. Foi muito difícil no início, porque eu fiquei com um pé na igreja e um pé no mundo. Primeiro, porque estava conhecendo as coisas da igreja e fazendo novas amizades, que era uma coisa que eu queria muito, mas ao mesmo tempo tinha muitas propostas “boas” do mundo. Foi um período conturbado, eu demorei 1 ano pra me batizar. Ainda passei por outro período em que me desviei porque tem um tempo na nossa vida, quando aceitamos Cristo, que o inimigo joga o que ele tem pra te dar um ultimato. Foi quando eu tive as melhores propostas, as mulheres mais bonitas vieram pra cima de mim, convites pra Salinas e eu acabei indo. Caí mesmo. Foi quando eu vi que estava mais quebrado do que antes. Um caco. Aí eu voltei quebrantado pra Deus, chorando mesmo, que nem Davi e foi aí que comecei a buscar a Deus de verdade, de coração.

No domingo passado (01.05.2011), tu deste um depoimento durante o culto a respeito de Santidade. Quando chegaste nesta decisão e a partir de quando tu percebeste que era isso que tu querias pra tua vida?

Durante muito tempo, eu lutei contra o pecado. Eu tinha muitos “pecados de estimação” e vivia sabendo o que era errado e mesmo assim dava muita brecha. E eu vi que por muitas dessas brechas a minha vida com Deus não estava 100%. Eu sentia que Deus me cobrava mais. Que eu tinha que ser mais. Que para que Deus me abençoasse mais, eu precisava de uma vida nova. Eu clamava por bênção, mas eu via que se Deus me abençoasse enquanto eu levava a vida que eu levava, eu nunca ia sair daquela vida e eu via que Deus queria muito mais que me abençoar, queria que eu levasse uma vida inteiramente dedicada a Ele. E eu cansei de dar brechas. Todas as vezes que eu caía era porque eu dava brechas. Eu ia pro acampamento e duas semanas depois, eu já estava frio de novo. Deixava de buscar, não tinha compromisso com Deus, não tinha santidade, não tinha renúncia. Eu não conseguia renunciar as coisas e eram pequenas coisas.

Então eu decidi que não queria mais isso. Que queria renunciar de verdade, que estava cansado de todas as vezes ter que voltar pro acampamento quebrantado. Não queria mais voltar ferido pra Deus. Eu queria ser um soldado de guerra, estar lutando no batalhão de frente. Por muitas vezes eu sentia que Deus me usava mesmo em pecado, pra dar testemunho pras outras pessoas, mas no meu coração eu era hipócrita, porque eu sabia da Verdade, eu falava da Verdade, mas eu estava vivendo em pecado. Foi quando, de uma vez por todas, eu disse “Deus, eu não quero isso mais!! Tu me destes uma responsabilidade pra viver a vida que tu queres pra mim e eu perdendo as promessas que Tu tens pra mim por besteira? Coisas passageiras? Eu cansei!” E por causa disso, o inimigo se levantou contra mim, me ofereceu  grandes propostas que nunca aconteceriam em outra situação na minha vida. E eu passei a viver santidade e renúncia mesmo. Se for pra pagar um preço, se for pra perder amizades, se for pra receber repudia de algumas pessoas, se for pra bater o pé, eu vou bater porque eu já cansei e é muito melhor viver pra Deus do que viver pra homens! Eu quero saquear o inferno, mas pra isso eu preciso estar em santidade. Preciso ser cristão sozinho, preciso ser quem eu sou de verdade. Preciso ser quem Deus quer que eu seja pra Ele, de verdade.

O que tu dirias pra jovens que estão lendo o teu depoimento?

Eu diria que é muito fácil ir só pro acampamento. É muito fácil ouvir a voz de Deus e se quebrantar. Mas o difícil mesmo é renunciar, é chegar em casa e falar pra você mesmo: Dessa vez vai ser diferente, dessa vez eu vou fazer o que eu nunca fiz na minha vida, eu vou pisar num lugar que eu nunca pisei antes, eu vou fazer o que eu nunca faria se Deus nunca tivesse tocado no meu coração. É muito fácil você simplesmente dizer que você é cristão na igreja, mas é difícil você demonstrar com suas atitudes pra outras pessoas. Então essa é a maior renúncia. É muito fácil ser quem você é pros outros, mas quando você está sozinho é que você mostra o seu caráter. Quando você está de frente pra situação e você decide “Não, eu não vou fazer isso, eu decido fazer o que Deus quer pra minha vida, por amor”. E é isso que vale a pena, porque Deus já me deu muitas bênçãos justamente por causa dessa renúncia. E eu sei que ainda tem muito mais. Vou esperar porque eu quero ver a glória. Eu não quero mais viver naturalmente, eu quero viver sobrenaturalmente! Cansei de viver o mais ou menos. Quero viver o mais!!!

Editado por Marcella Tagliarini

Anúncios
comentários
  1. Thamiris disse:

    Glória a Deus! Muito edificante tudo o que o Leonam escreveu.
    Que ele seja muiiito usado por Deus =D

  2. Vivi disse:

    REEESSSPEEEIIITEEEIIII essa palavra do Léo, tô tão orgulhosa, feliz… Ele realmente é isso!!! um garoto liiiindo, admirável e o ms importante temente a Deus. FUI EDIFICADA!!!!

  3. Elizângela Borges disse:

    Cara, que lindooooo!!!!! Glória a Deus pela sua vida Leo. Que o Senhor continue te usando, que Ele continue todos os dias moldando a sua vida segundo o Seu caráter. Viver separado para Deus é muito difícil, exige muita coragem para abandonar tudo, é um desafio de comprometimento, mas o resultado é recompensador, é transformador é tudo o que o ser humano gostaria de ter e viver na vida, TUDO!!! É muito doido agente poder viver o que Deus quer… sem medo de nada, poder levantar a cabeça e dizer que somos livres, não termos acusação, mostrarmos para as pessoas com nossas atitudes quem é Deus para nós e o que Ele faz por nós!!!! Isso não tem preço!!! Parabéns Leo!!! Deus acredita e conta com você… sempre!!!

  4. Samantha Kunst disse:

    Nossa! que legal Leo,a gente nao imagina o qto nossas atitudes repercutem na vida d outras pessoas como exemplo em boas escolhas ,bençao de mudança..mto legal teu testemunho,Deus te abençoe

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s