Ressuscitei do Mundo dos Mortos

Publicado: 28 , fevereiro , 2011 , segunda-feira em Vou contar...

Olá, leitores da revista Zion! Estou aqui para contar meu testemunho de vida que, hoje, me permite ter um direcionamento firme e um propósito com Deus.

Bem, eu vim de berço cristão. Fui gerada debaixo de oração e do sonho de um casal maduro que, por anos, sonhava em ter filhos.

Debaixo da desesperança, meu pai descobriu que tinha um probleminha de saúde do qual precisaria se operar para tornar-se fértil. Ia-se o sonho da minha mãe e do meu pai até Deus resolver mudar os planos.

Com oito anos de casados, Deus concedeu oportunidade aos meus pais de adotarem meu irmão mais velho, hoje com trinta anos de idade, um homem de Deus. Aí se dava início à outra fase desta pequena família, onde o primeiro filho fora a sensação da vida deles. Era berço pra cá, carrinho pra lá, roupinhas de bebê e muito mais!

Paralelamente a esta nova experiência, meu pai decidiu não se operar até cumprir sua carreira no quartel como músico (ele é militar, hoje na reserva), em que consistia em não mais utilizar seu instrumento de sopro como atividade fim na banda de música. Focado, como meu pai sempre foi, buscou estudar. Especializou-se e foi promovido à suboficial. De trombonista de vara, tornou-se maestro da banda de música do Exército Brasileiro. Depois de ter adiado o sonho, decidiu que iria se operar, pois já era o tempo. Se ele não tivesse adiado, o fato de tocar um instrumento de sopro poderia afetá-lo fisicamente após a operação.

Nisso, passaram-se quatorze anos. Saindo de Boa Vista (RO), meu pai foi transferido para o Amazonas, Tabatinga. Lá foram os ardorosos treinos com minha mãe, como eles mesmos costumam dizer. A esta altura do campeonato, ele já estava operado e em fase de testes, digamos assim (risos).

Foi no Amazonas que fui gerada, como ele mesmo fala, em um beliche do Hotel de Trânsito do Exército. Conversando com minha mãe, ela me conta até hoje com o brilhinho nos olhos como foi para ela saber que estava grávida, principalmente depois de quatorze anos tentando frustradamente inúmeras vezes. É visível a alegria que transparece em seus olhos.

Eu era naquela época, como ainda sou, a menina dos olhos dos meus pais. Única filha mulher e a primogênita dos filhos biológicos (tenho mais um irmão, mas caçula), mas a do meio em regra geral. Eu era a bênção esperada e sonhada como nunca.

Uma bênção que o Senhor resolveu levar com um aninho de idade para perto dEle.

Minha mãe me contou como isso aconteceu. Eu estava com as amídalas bem inflamadas, quando a febre aumentou. Medicada, os remédios não conseguiam controlar as altas temperaturas de um corpinho debilitado, apontando que algo estava errado.

Esta febre ocasionou uma convulsão que me levou a óbito por mais de três horas. Minha mãe relata que fiquei toda torta, com os olhos revirados, eu estava totalmente sufocada. No momento em que a morte me cercava, ela chamou uma amiga enfermeira para que fosse me socorrer, mas era tarde demais, essa mesma amiga verificou minha pulsação e respiração. Não havia mais batidas do coração. Estava tudo parado. Os sinais vitais se foram. O sonho tanto esperado, naquele momento, se escorria pelos dedos dos meus pais, sem eles poderem fazer NADA.

Na época, meu pai estava desviado dos caminhos do Senhor. Por ser músico, passou a tocar na noite e não estava dando tanto valor à família. Vendo-me naquele estado, totalmente sem vida, desesperou-se, foi à rua em busca de um táxi, mas como ele mesmo disse, não encontrou nada fisicamente que pudesse socorrê-lo naquele momento.

Enquanto ele buscava o táxi para me levar ao hospital, minha mãe ajoelhou-se e orou a Deus, agradecendo-O por ter me gerado, carregado nove meses em seu ventre, agradeceu porque assim como o Senhor deu, Ele tirou. Em sua oração, ela falava a Deus que se eu fosse viver, crescer e ser uma pessoa sem caráter, que não honrasse o nome dEle e da família, que fosse feita a Sua vontade, pois ela preferia chorar naquele momento do que chorar mais tarde.

Neste momento, minha mãe conta que meu pai chegou perto dela e exclamou dizendo para que ela se levantasse, indagando sobre estar orando em uma situação como aquela. Que ao invés disso, ela poderia estar ligando para o rádio táxi atrás de um carro. Ele era um homem de pequena fé!

Ao se levantar, foi ao telefone. Seu intuito, naquele momento, não era ligar para o rádio táxi. Ela queria ligar para a família informando sobre a minha morte. Ao tocar no telefone, o Espírito de Deus ministrou ao seu coração e disse: “Filha, não temas! O que eu fiz foi para obra e despertamento do meu servo, teu marido. Não a tirarei de vós. Eu darei novamente o fôlego e sopro de vida à minha pequenina.”

Ao ouvir isto, minha mãe desligou imediatamente o telefone e ouviu um grito que vinha do quatro: “Dona Edilce, a Elizângela está voltando! Aconteceu um milagre! Ela está voltando! Corra, venha ver! Ela ressuscitou.”

Minha mãe correu ao quarto. Era a amiga enfermeira gritando. Ela relata que foi algo surpreendente, meus olhos voltaram normalmente ao lugar, minha língua de desenrolou sozinha, meus membros voltaram ao seu estado natural. Ao ver a cena, viu-me sentada pedindo por comida e água. Parecia cena de filme, minha mãe conta.

Naquele dia, a minha casa foi alcançada! Meu pai se reconciliou e o milagre que sou eu, está aqui: vivo, vivo! Sem sequela nenhuma, pois aquilo que Deus faz é perfeito!

Hoje, entendo os propósitos de Deus! Ele me permitiu viver para responder a um chamado. Meu coração pulsa por missões, no meu DNA está o gene I-D-E, portanto, as portas do inferno não prevalecerão sobre a minha vida, pois eu tenho a convicção de quem eu sou no Reino de Deus e da ameaça que represento para o reino das trevas! Eu nasci três vezes para FRUSTRAR o inferno: uma por ter vindo ao mundo pela primeira vez, outra por ter morrido e ressuscitado fisicamente e a última por ter nascido para Cristo! Ninguém vai me deter!

Amado (a), eu não sei o que você tem clamado a Deus, ou até se não tens clamado por não conseguir. Mas quero lhe dizer neste momento, que para o Deus que eu sirvo NADA é impossível. Ele abriu a madre da minha mãe, me tirou do mundo dos mortos e me trouxe à vida, alcançou o meu pai e tem feito muito mais! O que se faz impossível para Ele? Receba de Deus o toque do Espírito Santo. Se precisas de cura, que sejas curado agora. Se precisas de paz, que o Shalon de Deus lhe alcance neste momento, alcance a sua casa. Se precisas de salvação, não perca tempo, aceite a Jesus agora, entre em contato conosco, queremos orar por você! Se precisas do impossível aos seus olhos, hoje Deus lhe diz: “Contemple com os novos olhos que lhe dou. Enxergarás como águia e verás além do horizonte, onde olhos humanos não vêem, pois o que se torna impossível pra você, é possível para mim.” .

Que o Espírito Santo esteja ruminando estas palavras em seu coração. Clame ao Deus que tudo pode e Ele fará muito mais por você! Creia e verás a Glória de Deus!

Elizângela Borges, 24 anos, Administradora

Anúncios
comentários
  1. Wagner disse:

    Nossa Elizângela, que testemunho! Fiquei emocinado..

    Deus tem, realmente, um propósito da tua vida. E creio que a chama para o teu chamado para missões não se apagará!!

    Que Ele te abençoe e te guarde SEMPRE!

    =)

    • Elizângela Borges disse:

      Amém! Eu tb creio! Deus é perfeito no que faz!

      No tempo dEle tudo acontecerá… estou buscando estar neste tempo, mesmo que o meu eu queira fazê-lo conforme a minha pequena e tola vontade… rsrs… Deus tem me feito segurar a onda! rs…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s