Presente de Deus no meu aniversário

Publicado: 8 , novembro , 2010 , segunda-feira em Vou contar...

E então, Deus tocou em mim naquela noite. E eu me senti capacitado, completo, e cheio da palavra para o que viria.

Naquele dia, 25/10/2010, fazia um mês  que eu tinha nascido, fazia um mês da minha vida com Cristo.  E como presente, Deus resolveu “me testar”, e mostrar que mesmo com pouco tempo ao lado dEle, eu poderia SIM, falar da Palavra dEle e usá-las para levar a calma a alguém. Resolveu então, me dar um presente: o conhecimento que eu nunca tive. E eis o presente:

Naquele dia, por volta das 21:40, recebi uma ligação do meu irmão. Atendi no exato momento, e escutei a voz CHOROSA do meu irmão (é raro ver ele chorando) dizendo que viria me buscar. Não hesitei nenhum segundo, e fui embora com ele. No momento em que entrei no carro, vi a namorada dele chorando, também. Logo deduzi: terminaram (Um namoro de 4 anos, de idas e voltas, choros e aflições. Ambos são amigos do evangelho). E dentro do carro, comecei a orar pedindo sabedoria e calma pra eles. Meu irmão foi primeiro me deixar em casa, antes de deixá-la.

Naquele momento, sozinho, antes que ele chegasse, pedi a Deus pra que me desse sabedoria e que eu soubesse levar a paz ao coração do meu irmão.

Meu irmão chegou aflito em casa, e então eu o chamei pra conversar, e perguntei o que havia acontecido.  Antes de ele terminar, as palavras me vieram surgindo na cabeça, e comecei a me lembrar de alguns versículos que já havia lido antes. E perguntei: esse namoro te traz paz?. E prontamente ele respondeu: Não! E eu citei pra ele Colossenses 3.15:

Seja a paz de Cristo o árbitro em vossos corações. Se fizermos as coisas segundo a paz de Cristo seremos muito mais felizes e faremos muito menos erros.

E encima dessas palavras, eu discuti com ele. Refleti com ele e disse: Neto, Deus morreu pra que nós tivéssemos PAZ, e ele quer que tenhamos essa paz. E que tenhamos as nossas decisões como árbitro, como ponto decisivo… Conversamos mais alguns minutos, e fiz outra pergunta: É paixão, ou amor?. E ele não soube me responder. Sobre essa pergunta eu citei  I Coríntios 13.7:

O amor tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta

E usando essas palavras, refletimos. E eu perguntei: Sabes me responder se é paixão, ou amor? A paixão é algo fugaz, é efêmero. O amor é diferente,  o amor é eterno, é dádiva de Deus; e se for amor, crê e espera. Fiz outra pergunta: Esses 4 anos de namoro, te somaram em algo?…Ele não soube responder, e então eu citei Provérbios 14.10:

A bênção do SENHOR enriquece, e, com ela, ele não traz desgosto.

e disse: Neto, o que vem de Deus…nos traz prosperidade, nos edifica, nos soma em algo.

Citei também Provérbios 14.12:

Há caminho que ao homem parece ser bom, mas ao fim não é o melhor.

e acrescentei: Neto, pode ser que tenha dado certo…mas, talvez, não seja o certo, ou o que Deus quer pra ti. Em cima da última passagem, acrescentei Jeremias 17.9:

Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o conhecerá?

Falei pra ele: Neto, o coração engana. Põe na mão de Deus, pede pra Ele… Li também Coríntios 13. Dali ficamos mais alguns minutos conversando, e eu me surpreendi comigo mesmo, pensa só: eu costumava fazer tudo errado, sempre “escutava” dele…e agora era o contrário… Meu irmão de 23 anos, recebendo meus (do Senhor) conselhos… No final daquela conversa, ele me abraçou e disse o quanto aquela conversa havia significado pra ele. Depois daquele momento, agradeci MUITO a Deus, por ter me usado pra falar a sua vontade. Mas aquela noite, ainda não seria nada…perante o dia seguinte.

No dia seguinte, não vi o meu irmão a manhã inteira, e por volta das 18:00, ele chega em casa com a namorada. Eu estava vendo TV. E por alguns minutos eles ficaram dentro do quarto, conversando… Meu irmão saiu do quarto pedindo: Lucas, vai lá ao quarto conversar com a Camila (namorada), diz pra ela que eu a amo e que o nosso relacionamento tem que estar nas mãos de Deus…

Levantei-me, e fui até o quarto, conversei com ela por bastante tempo, disse, basicamente, a mesma coisa que tinha dito ao meu irmão na noite anterior. E ela chorava deitada com a cabeça sobre as minhas pernas e dizia: Eu  quero por o nosso namoro nas mãos de Deus. Aquilo soou como um grito de Vitória. E então, saí do quarto, e meu irmão entrou, e fui até o computador… Comecei a contar pra Yana o que havia acontecido. Mas, eis que o inimigo ataca novamente: lá de dentro, a Camila grita.

Fui correndo, e ela estava na porta querendo ir embora. Ambos começaram a gritar um com o outro, xingando, e então o meu irmão a empurrou. Naquele momento, passou uma cena na minha cabeça, lembrei o que minha mãe já havia passado nas mãos do meu pai… E Dalí mesmo, “voei” em cima do meu irmão, e comecei a “esculhambar” com ele. Aí a Camila dá um soco no peito do meu irmão. Fiquei nervoso, os apartei, e pedi pra Deus que trouxesse mansidão pra minha casa, pois eu sabia que não era o meu irmão ali, e que não era a Camila ali, naquele momento. Ambos se calaram. Comecei a conversar com ele, e perguntei se era realmente aquilo que eles queriam. Falei por mais um bocado. E no fim, perguntei: Vocês ainda querem ficar juntos?, ambos responderam que sim, cada um da sua maneira. E me retirando da sala, eu disse: vou deixar uma missão pra vocês, orem juntos, e peçam pra Deus… Vim correndo até o computador, feliz por ter contornado a situação, comecei a conversar com a Yana, e de repente me surgiu a vontade de ORAR JUNTO COM ELES, só que a “timidez” me prendia ali, e a Yana começou a me encorajar, dizendo que Deus queria aquilo, que ele tava me usando. Enchi-me de Espírito [Santo], e fui até a sala fazer algo que jamais teria tomado coragem: orar em “público” (mais de uma pessoa pra mim…já é público), andando pelo corredor o nervosismo foi saindo. Sentei-me no sofá, e pedi para que ambos sentassem ao meu lado, segurei forte suas mãos, e orei. Pedi a Deus para que se aquele relacionamento fosse da vontade dele, que assim fosse feito. Decretei que a partir daquele momento eles teriam um novo relacionamento, e que a base de tudo aquilo seria Cristo. Orei por eles, orei por cada defeito, orei pela vontade de Deus. Ao término daquela oração, ambos estavam chorando, me abraçaram e me agradeceram pelo que fiz.  Nunca havia me sentindo tão completo, tão cheio de Espírito, tão cheio da palavra como naquela noite. Desde então, não brigaram mais, e no sábado passado (30/10/10), ambos estiveram presente no culto.

Foi mais uma vitória, mais uma benção. E devo ela a Ti Senhor, pra honra e glória do Teu nome.

Lucas Leite, 17 anos, estudante pré-vestibular

Anúncios
comentários
  1. Tonny Raphael e Bianca disse:

    É ISSO AI LUCAS, COLOQUE-SE NA BRECHA (OPORTUNIDADES) SEMPRE E DEIXA DEUS TE USAR!!! DEPENDA SEMPRE DO ESPIRITO SANTO!!!

  2. Bellinha disse:

    tãão lindoo o meu amiiigo! *.* tee aamoo ♥

  3. Nossa… que experiência marcante… Glória a Deus!!! Que o Senhor continue usando a sua vida… que sejas sempre um canal de bênção…

    Como é lindo quando Deus usa com sabedoria uma pessoa. Amado, isto é um dom! Aconselhar não é para qualquer um!

    Que isso seja aperfeiçoado em vc todos os dias…

  4. Lucas Leite disse:

    égua, a primeira de muitas vitórias.

    • KMatos disse:

      Que bom Lucas. Que Deus sempre o encoraje para fazer o que O agrada. Que Ele te dê mais sabedoria, discernimento e que continues sendo bênção onde estiveres e por onde passares. Deus é bom! fazer o quê?? heheheheh

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s